quarta-feira, 25 de março de 2009

Cultura direito de Todos!?


Dia 27 de março dia Mundial do Teatro, nos dias de hoje nós artistas e cidadãos, não sabemos se comemoramos ou protestamos sobre a real situação cultural do país. Recentemente a revista “A Semana – Isto É Dinheiro”, publicou o seguinte anuncio:
Espantoso o resultado da pesquisa realizada pelo Instituto de Cidadania.
Foram ouvidos 3.501 brasileiros de 15 a 24 anos, de seis Estados e 198 municípios, abordando temas gerais da vida, como lazer, sexualidade, trabalho e escolaridade. O estudo foi entregue ao presidente Lula.
O que mais chama a atenção é a abstinência cultural do jovem brasileiro:



23% nunca leram um livro
39% nunca foram ao cinema
62% nunca foram ao teatro
59% nunca foram a um show musical
52% nunca estiveram numa biblioteca fora da escola


Mas essa situação se tornou mais grave, e esta semana saiu outra pesquisa nacional onde mostra que existe um apartheid cultural no Brasil e poucos têm acesso à cultura, 14% dos brasileiros vão ao cinema e menos de 8% a museus e teatros.Junto a isto na ultima segunda feira (23/03/09) o ministro da cultura Juca Ferreira em entrevista coletiva criticou o atual modelo da Lei Rouanet, disse que o objetivo das mudanças que serão feitas, é permitir que o financiamento das empresas privadas às atividades culturais não se restrinja a grandes produções artísticas nem ao eixo Rio de Janeiro - São Paulo, como ocorre no modelo atual. O governo também quer acabar com a cobrança elevada dos ingressos para espetáculos culturais no país.
Dentro das mudanças e em tempos de orçamento apertado, o governo pretende lançar uma espécie de Bolsa-Cultura. De acordo com proposta do Ministério da Cultura, trata-se de um “Vale-Cultura” que vai se juntar ao tíquete-alimentação e ao vale-transporte no pacote de benefícios trabalhistas existentes no País. A medida está prevista no projeto de revisão da Lei Rouanet (Lei nº 8.313), que o Ministério da Cultura pôs ontem em consulta pública em sua página na internet por um prazo de 45 dias (http://www.cultura.gov.br/site/). Depois desse prazo, o governo acolherá ou não as sugestões e encaminhará o texto final de um projeto de lei para o Congresso.

Enquanto fatores importantes como a Cultura for vista como algo supérfluo, veremos essas cenas de violências crescendo a cada instante, um bom exemplo de como é mais inteligente e econômico investir em cultura, é se pegarmos o orçamento do governo e veremos que cada preso custa em media de R$1700,00 reais. No entanto, um professor (diretor) de teatro (ou outra forma de arte) pode ter em media em um grupo 40 alunos e custa cerca de R$1000,00 reais. E como diz o velho ditado ”Mente vazia oficina do diabo” e sendo a arte um agente transformador, essas 40 pessoas que entrarão em contato com a arte e serão envolvidas por ela. Agora se usarmos a matemática veremos:



Com a arte o governo economiza e a gente se valoriza!

Um comentário:

  1. Uma pena, mas no circo dessa vida o palhaço é o que mais chora...

    ResponderExcluir